domingo, junho 27, 2010

Dar mais…

“Se a tua voz trouxer mil vozes para cantar,
vais descobrir mil harmonias belas
que ao céu hão-de chegar.
Fica mais rica a alma de quem dá,
chega mais alto o hino de quem vive a partilhar.

Tu tens que dar um pouco mais do que tens,
tens que deixar um pouco mais do que há,
se vais ficar muito orgulhoso – vê bem,
tens que te lembrar:
és o grãozinho de uma praia maior,
e deves dar tudo o que tens de melhor,
pr’avaliar a tua Alma: há leis!
Tu tens que dar um pouco mais do que tens!

O tempo vai e de um rapaz um Homem vem.
Sem medo vê o teu destino:
vai em frente p’ra servir o Bem.
É tão profunda a mensagem que chegou.
São tão seguras e largas as pontes qu’Ele deixou.”

(Autor desconhecido)

…Relembro-me dos últimos dias e das experiências que tenho feito. Reconstruo com carinho os sorrisos nos rostos de quem me acompanhou. Em meu redor, há mil vozes que seguem comigo a cantar. Somos tantos os que nos reunimos num mesmo abraço sincero. Surgem na minha cabeça, como num filme, tantos amigos com quem tenho construído a minha história, que entregam a cada dia a sua vida por mim. Como pode caber fechada no meu coração a alegria de ser convidado pelo meu primo Pedro para ser seu padrinho de Crisma? Como posso conter a felicidade de poder acompanhar o Bruno, meu parceiro de caminhada, a dizer o seu Sim eterno àquelas que procuro que sejam também as raízes sobre as quais me ergo?...

…Mais uma vez, senti-me ser testemunha de novas almas apaixonadas que se entregam. Há um novo brilhar nos olhos de cada um. E juntos recomeçamos a cada dia. Comprometemo-nos. Seremos almas apaixonadas que apostam nesta caminhada de quem vive para dar um pouco mais do que tem…

…Os dias passam e, aos poucos, tornamo-nos portadores de uma esperança que nos continua a fazer ser diferentes. Há um algo mais que nos aconchega e nos faz sentir unidos. Temos cada um o nosso caminho distinto, mas reencontramo-nos no decurso das nossas vidas para as celebrarmos. Porque há sempre um olhar que O revela e que tem de ser trocado, um abraço que volta a aproximar dois corações que se amam como expressão do Seu Amor. E ecoam suavemente na minha cabeça as palavras que me imprimem movimento: dar um pouco mais, sempre um pouco mais. Se Ele o quer, eu quero-o também…

…Ao som de uma música suave, no final de cada dia, juntamo-nos para rezar sob uma luz ténue. Temos, no centro, uma pequena cruz e permanecemos reunidos, neste pedaço de terra, num momento de céu…

3 Comments:

Blogger Thiago said...

«…Relembro-me…», assim evocas as tuas memórias, as presenças influentes que te acompanham nesta terra de peregrinos, vagabundos profetas, com as quais - afirmando «reconstruo» - tomam corpo os teus sonhos, enraizados no desafio de maior verdade e de mais plena esperança, encarnados na tua existência. Mas não existes sozinho, e por isso és consequente quando escreves «juntos recomeçamos», expressando a inclusão dos outros, todos os outros que tu conheces bem, com quem te despertas para a compaixão, para o amor, para o sentido da justiça e da honradez, para o humanismo que protesta contra o espírito de desumanização que a realidade nos tempos que correm impõe ao homem transformando-o em "coisa". Um despertar incessante, sempre em novos inícios, porventura algumas vezes em indizíveis vivências de solidão, mas que jamais confundes com a sensação de abandono, podendo dizer… «reencontramo-nos no decurso das nossas vidas para as celebrarmos».

Aprecio a tua partilha, é verdade, e admiro-te muito pela profundidade de alma, pela tua sensibilidade espiritual, importante para viver na disposição de converter-se continuamente, de purificar motivações, de ampliar perspectivas. Tal não acontece numa fácil acomodação à última palavra proferida por quem quer que seja, mas sim na paciente e crítica confrontação pessoal com as raízes do ser cristão, «neste pedaço de terra, num momento de céu…», com todas as tuas experiências. E com esse Deus que não se deixa amarrar, esse Deus que nos sobressalta colocando-nos perante horizontes sempre novos e compromissos nunca pensados, esse Deus que nos envia aos outros - homens e mulheres - e nos dá garantias dos resultados, esse Deus que muitas vezes e de muitos modos falou aos nossos pais, nos tempos antigos, por meio dos profetas, e finalmente falou-nos por meio do Filho, Jesus Cristo, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, e por meio de quem fez o mundo (cf Heb 1, 1-2).

Esse Deus de quem Jonas procurou escapar fugindo para Társis, um homem inteligente e pelos vistos precavido (cf Jn 1, 1-3). No entanto, de nada lhe serviu a fuga e em nada ajudou a distância: o homem escolhido por Deus para cumprir uma missão há-de cumpri-la, encarnando símbolos reconhecíveis e dentro ou fora de estruturas institucionais.

Th.M.

10:50 da manhã  
Anonymous Paula Sofia said...

São vidas, histórias que cruzam as nossas e que deixam as suas marcas. Crescemos com esta partilha, alimentamos a esperança no nosso coração e desejamos viver cada momento saboreando cada bocadinho dele como se estivéssemos a desfrutar de um alimento que gostamos muitos e que poucas vezes o podemos saborear. Caminhamos lado a lado, é impossível a solidão, em cada olhar, em cada sorriso identificamos algo que nos pertence, um sentimento comum de doação e entrega pelos outros, transforma-nos num único ser, movidos por um único coração, enxergando com os mesmos olhos, caminhando com os mesmos pés e com o mesmo destino, servindo a quem precisa com as mesmas mãos abençoadas pelos dons que Deus nos dá e que é nosso dever pôr a render, para que outros deles se enriqueçam, tomando-os como seus, querendo leva-los também para o serviço de outros. Ao meu redor encontro tantos destes rostos e sorrisos que me cativam e me fazem sorrir, e chorar também, partilho com eles momentos únicos que me marcam, que me fazem reflectir a sua importância na minha vida, no meu caminho, por vezes sou por mim própria incompreendida, não sei porque tudo me emociona e me faz por vezes amar tanto e desejar amar muito mais, desprendida do mundo e das pessoas, voo ao saber destes sentimentos que descubro e em diferentes momentos experimento, como o momento, em que eu também tive a felicidade de acompanhar o Bruno no seu Sim a um projecto eterno de entrega, ele, grande amigo e irmão, que me faz caminhar presa às mesmas raízes, apaixonada por este caminhar com sentido, com diferença e felicidade, despertando em cada local uma sede de amar, amar cada vez mais, olhando horizontes sem ter receio de que alguém os possa querer fazer desaparecer, confiantes de que nos temos uns aos outros para uma partilha, um conselho, um empurrão no momento de caída, uma semente de esperança que brota em momentos de escuridão.
Ele é nossa esperança, nossa diferença e para sempre a nossa união…

9:15 da manhã  
Blogger Selene said...

Lindos sentimentos expostos neste espaço...

8:27 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home